A linha Honda CG 2016 chega com uma grande novidade: a nova motorização de 160 cm³ de capacidade, que oferece mais potência e torque. Renovada visualmente, a nona geração da street da marca japonesa chega em duas versões: Titan, a topo de linha; e a Fan, com apelo mais utilitário. Os preços públicos sugeridos são de R$ 7.990 para a CG 160 Fan e R$ 9.290 para a CG 160 Titan. Os modelos chegam às concessionárias ainda neste mês.
A CG não foi a primeira motocicleta fabricada no Brasil. Este título pertence a RD 50, da Yamaha, que nasceu em outubro de 1974, em Guarulhos, na Grande São Paulo. Porém, ao longo de quase quatro décadas, o modelo street da Honda evoluiu e se transformou em um fenômeno de vendas. São mais de 11 milhões de unidades emplacadas desde 1976, início da produção em Manaus (AM). E hoje comemora o título de veículo mais vendido do País, deixando para trás até mesmo automóveis, como Fiat Palio e VW Gol.
Segundo dados da Fenabrave (Federação Nacional da Distribuição de Veículos Automotores), a linha CG 150, que agora sai de linha, representou 52 % dos emplacamentos totais de sua categoria em 2014 com 347.632 unidades.
A expectativa da Honda com a nova CG 160 é manter o mesmo volume de vendas. De acordo com Alfredo Guedes, engenheiro da Honda, a previsão no primeiro ano é de comercializar 350 mil unidades – sendo 160 mil da versão Titan e 200 mil da Fan.
Motor 160cc
A grande alteração fica por conta da adoção de um “novo” motor – entre aspas, pois se trata do mesmo que passou a equipar a NXR 160 Bros, desde o final do ano passado. Com capacidade cúbica de 162,7 cm³, este monocilíndrico, conta com comandos simples no cabeçote (OHC), quatro tempos, arrefecido a ar, injeção eletrônica e tecnologia FlexOne (bicombustível). Com mais capacidade cúbica e tecnologia, a moto ganhou dose extra de potência e desempenho. São 14,9 cv a 8.000 rpm se abastecido com gasolina, e 15,1 cv a 8.000 rpm, com etanol. O torque máximo é de 1,40 kgf.m a 6.000 rpm e 1,54 kgf.m a 6.000 rpm, respectivamente.
Segundo a Honda, o novo propulsor, mesmo de maior cilindrada e mais potente, se mostrou até 8% mais econômico em comparação á versão anterior. “Isso acontece porque o motociclista acelera menos para ter o mesmo desempenho”, explica Guedes. O novo motor já atende a segunda fase do Promot 4, que entra em vigor a partir de 2016, e diminui ainda mais os níveis de emissão de poluentes nas motocicletas.
Entre as boas novidades do motor está a utilização de mais um balanceiro para diminuir a vibração e a fixação do eixo primário nas tampas laterais – calçados em rolamentos. Para facilitar a manutenção do novo motor de 160cc não é mais necessário desmontar o cabeçote para tirar o comando: o acesso é feito por uma tampa lateral, tornando o trabalho mais rápido e simples.
Quadro e ciclística
Na parte ciclística, a CG 2016 usa um chassi de aço – tipo Diamond – que ganhou reforços para fixação do novo motor. Em ambas, as suspensões usam o tradicional garfo telescópico com 135 mm de curso na dianteira. Na traseira há o sistema bichoque (amortecedores duplos e mola), com 106 mm de curso.
Tanto a Titan, como a Fan, contam com disco dianteiro simples de 240 mm e tambor traseiro, com 130 mm. Entretanto, o Combined Brake System (CBS) – sistema de freios combinados que distribui a força da frenagem em ambas as rodas – está disponível somente na CG 160 Titan. Outro diferencial da Titan é o pneu traseiro mais largo e de perfil esportivo, na medida 100/80 – 18.
Visual moderno
Apesar dos quase 40 anos, a Honda quer deixar a CG cada dia mais jovem. Para isso, a moto ganhou grafismos inspirados em motocicletas de maior capacidade cúbica da marca. Lê-se: CB 300R e CB 500F.
Das carenagens frontais, semicarenagens laterais, defletores e assento, tudo ficou mais moderno. O tanque de combustível está com linhas mais altas na parte superior, incluindo um bocal aeronáutico, usado em modelos maiores. A capacidade, porém, é a mesma da versão anterior: 16,1 litros.
A CG 160 Titan tem um apelo mais esportivo do que a Fan. As diferenças podem ser notadas em itens como defletores laterais, suporte da placa na rabeta, protetores e ponteiras do escape, além de pedal de freio e pedaleiras.
Além do design, a CG 160 Titan incorpora novidades exclusivas, como um painel digital que ganhou conta-giros – até que enfim! – e alças de apoio para a garupa em alumínio e removíveis, muito parecidas com as já utilizadas em outros modelos Honda. Outro destaque são as rodas em liga leve incorporadas à Fan nesta nova geração, e com design exclusivo para a Titan. Com isso a moto mais vendida do Brasil deixa de usar rodas raiadas.
Versões, cores e preços
A Honda CG 160 Fan 2016 tem preço sugerido de R$ 7.990 – o modelo 2015 de 150cc, a Fan ESDi, custava R$ 7.357. Já a nova CG 160 Titan vai custar R$ 9.290 – valor mais alto que os R$ 8.639 da CG 150 Titan EX 2015, sua equivalente com rodas de liga-leve, que agora sai de linha.
Disponíveis nas cores vermelha, cinza e preta (CG 160 Fan 2016) e vermelha, branca e preta (CG 160 Titan 2016), os novos modelos chegam às concessionárias ainda em agosto em versão única. Ambos têm garantia de três anos sem limite de quilometragem, com fornecimento gratuito de óleo em sete revisões.

* o jornalista viajou a convite da Moto Honda da Amazônia